© 2017 CPI - Centro Português de Iluminação

  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Pinterest Icon

FORMAÇÃO CPI - A Construção do Ambiente Luminoso

Módulo III - Regras e práticas

Formador: Eng.º Garcia Vazquez

Conceber e dimensionar sistemas de iluminação é na atualidade controverso com grande importância na arquitetura e na utilização racional da energia exigindo a contribuição de equipas com diferentes competências com capacidade para implementar as instalações sem perder de vista o utilizador e o investimento.

E nesta realidade que se tornou indispensável o aparecimento de normas e regulamentos com capacidade para orientarem quem efetua projetos seleciona equipamentos precavendo os utilizadores contra o aparecimento de soluções desajustadas e inconvenientes umas vezes por excesso de consumos outras por carência de iluminação devidamente adaptada ao uso e ao conforto pretendido.

Foi assim que para obter licenciamento ou autorização para edificação em edifícios de comércio e serviços passou a ser necessário apresentar os projetos em conformidade com o Regulamento de Desempenho Energético dos edifícios de Comercio e Serviços (RECS), regulamento aprovado pelo DL 118/2013 de 20 de agosto acrescentado das portarias 349-C/2013 de 2 de dezembro e 349-D/2013 de 2 de dezembro.

Segundo o RECS Art 9 da portaria 349-D/2013 o projeto dos sistemas de iluminação deverão estar de acordo com:

  • EN12464-1 Light and lighting - lighting of work places- part 1 : indoor work places

  • EN 15193 Energy performance of buildings – energy requirements for lighting

  • Requisitos de densidade de potencia DPI [(w/m2)/100lux] Conforme indicado no ponto 9.3 Tabela I.28 da portaria

 

A iluminação normal ambiente e de segurança deve ser estabelecida em conformidade com as RTIEBT, os Decreto-Lei n.º 220/2008 de 12 de Novembro e a Portaria n.º 1532/2008 de 29 de Dezembro e a norma EN1838 delinearam as condicionantes a observar pelos sistemas de iluminação em função dos requisitos regulamentares emanados da segurança contra incêndio.

Neste modulo e na sequência dos dois módulos anteriores o formador pretende que os formando fiquem sensibilizados para a sequência mais adequada para apresentar e implementar os projetos dos sistemas de iluminação no interior dos edifícios atendendo à legislação a observar sem perda dos objetivos e os parâmetros de qualidade indispensáveis para que se possam considerar aceitáveis os sistemas de iluminação em cada local.

Programa da Formação – 1º dia – 28-06-2017

14h00 – Início da sessão e apresentação

14h10 – PARTE I

  • Principais elementos a indicar nos projetos de sistemas de iluminação.

  • Faseamento dos projetos procedimentos habituais e procedimentos indicados pela legislação existente para contratos com organismos públicos.

 

15h45 – Intervalo

 

16,00h – Distribuição duma arquitetura para sobre ela aplicar os conhecimentos a ministrar.

 

16,15h - Marcha de projeto, Fluxograma e Documentos a incluir nos projetos

 

17h00 – PARTE II

  • Requisitos das Regras técnicas das instalações elétricas de baixa tensão RTIEBT

  • Requisitos dos regulamentos de segurança contra incêndio

 

  • Requisitos do RECS 

 

  • Normas de aplicação obrigatória em conformidade com o regulamento

 

17h45 – Discussão 

    

18h00 – Encerramento da Sessão

Programa da Formação – 2º dia – 29-06-2017

14h00 – Início da Sessão

  • Requisitos do RECS Continuação    

  • EN12464-1 Light and lighting - lighting of work places- part 1 : indoor work places

  • Requisitos de densidade de potencia DPI [(w/m2)/100lux] Conforme indicado no ponto 9.3 Tabela I.28 da portaria

 

15h15 – PARTE III

  • Tipos de Iluminação disposições para dimensionamento e conceção.

 

  • Requisitos de eficiência energética no projeto sistemas de comando e controlo

 

15h45 – Intervalo

 

16h00 – PARTE IV

            Uma aplicação a efetuar em conjunto  

17h10 – Teste de Avaliação

17h30 – Discussão final

18h00 – Encerramento da Sessão

Please reload

Breves notas sobre o formador Eng. Garcia Vazquez

 

  • Engenheiro Eletrotécnico Membro Sénior e especialista em Climatização pela Ordem dos Engenheiros, especialista em Luminotecnia com uma experiência superior a 40 anos.

  • Perito Qualificado PQII reconhecido pela ADENE para o sistema de Certificação Energética

  • Formador do IST Lisboa de 1970 a 1989, da Universidade Católica (Faculdade de Engenharia de Lisboa) entre 2004 e 2008 e desde 2006 para o CPI

  • Membro fundador e atual responsável pelo grupo de trabalho da formação do CPI-Centro Português de Iluminação

  • Membro da Bolsa de Peritos para acreditação da formação contínua da Ordem dos Engenheiros

  • Sócio-gerente do gabinete Garcia Vazquez Engenharia e Gestão de Projetos Lda.